terça-feira, 2 de março de 2010

OEUVRES RéCENTES

Exposição em Paris.

4 comentários:

Luiz de Oliveira disse...

SALUT

Rien, cette écume, vierge vers
À ne désigner que la coupe;
Telle loin se noie une troupe
De sirènes mainte à l'envers.

Nous naviguons, ô mes divers
Amis, moi déjà sur la poupe
Vous l'avant fastueux qui coupe
Le flot de foudres et d'hivers;

Une ivresse belle m'engage
Sans craindre même son tangage
De porter debout ce salut

Solitude, récif, étoile
À n'importe ce qui valut
Le blanc souci de notre toile.

Stéphane Mallarmé


Salve Edson,
um brinde ao seu sucesso aí nessas terras francesas!

grande abraço,
Luiz de Oliveira
ps. a tradução do Agusto

Com CH disse...

Que lindo isso!
Parabéns pela conquista Edson.
Eu resolvi estudar, estou fazendo pós em SP de psicoterapia psicanalítica breve num instituto foda. A visita teve que ser adiada um pouquinho, mas minhas irmãs devem ficar uns dois ou três dias aí entre essa semana ou a que vem vou indicar pra elas a exposição.
E ai? Como estão as coisas? Mande notícias.
Abs
Chico

Tom disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kdkrol disse...

Edson Castro, sua obra está cada vez mais linda, mais intensa, mais complexa,mais madura. É poesia visual da pura, da boa!
Palavra de desentendida profissional.
Parabéns pelo sucesso.